100% Orgânicas!
100% Açores!

DESTAQUES:

Asparagopsis

De acordo com a FAO, o sector da pecuária é responsável por 18% do efeito global das alterações climáticas, sendo as emissões de metano por parte do gado ruminante um dos maiores contribuintes para este problema. Para além de se tratar de um gás extremamente potente, a quantidade de metano libertado para a atmosfera tem aumentado anualmente devido ao crescente número global de gado nas explorações agrícolas.

Na busca por suplementos de rações de origem natural para reduzir as emissões de metano por parte dos ruminantes, os cientistas depararam-se com um género de macroalgas vermelhas, Asparagopsis, que possui um elevado potencial para mitigar a produção de metano entérico, uma vez que produz altos níveis de bromoformo, um composto halogenado conhecido por inibir a metanogénese. Estudos publicados mostraram que a suplementação de 0,2% de Asparagopsis liofilizada à dieta das vacas reduziu a produção de metano até 98% e, simultaneamente, proporcionou um aumento de 42% de peso (Kinley et al., 2020).

 

"Algas marinhas podem reduzir até 82% as emissões de metano do gado bovino"
"O cultivo de algas das praias Canadianas aos laboratórios da Universidade do Algarve"

Ambas as espécies estudadas Asparagopsis armata e Asparagopsis taxiformis são macroalgas não indígenas particularmente abundantes nos Açores (Atlântico NE) e que ocorrem em todas as nove ilhas do arquipélago, desde o intertidal em substrato rochoso até aos 40 m de profundidade.

A seaExpert encontra-se devidamente licenciada para a apanha destas espécies, trabalhando de forma séria e responsável para obter o mínimo impacto sobre o ecossistema marinho açoriano e, simultaneamente, fornecer um produto de elevada qualidade. A apanha é feita manualmente com recurso a mergulho com escafandro autónomo e de forma disseminada e dispersa nas épocas de maior abundância e biodisponibilidade, possibilitando a selecção dos melhores espécimes e evitando as capturas acessórias.

Nos últimos quatro anos, a seaExpert já forneceu Asparagopsis para oito
países, fazendo chegar as nossas algas a institutos de investigação,
universidades e empresas privadas, num esforço conjunto a nível mundial para encontrar uma solução viável no combate às alterações climáticas.

AS NOSSAS ALGAS

Asparagopsis armata

Asparagopsis armata

Alga vermelha de média dimensão, abundante nas águas açorianas. É amplamente utilizada na indústria cosmética, nomeadamente como agente anti-caspa e anti-acne.

Época de maior abundância: Março a Maio

asparagopsis taxiformes 2

Asparagopsis taxiformis

Alga vermelha de média dimensão, extremamente abundante nas águas dos Açores. Possui um perfil químico com boas potencialidades para aplicação na indústria de saúde animal e humana.

Época de maior abundância: Março a Maio

Gongolaria abies-marina (syn. Cystoseira abies-marina)

Alga castanha de média dimensão, abundante em todo o arquipélago dos Açores. Tradicionalmente usada como fertilizante, tem atraído interesse para o desenvolvimento de medicamentos anti-inflamatórios e produtos de desenvolvimento muscular.

Época de maior abundância: Março a Junho

Cystoseira humilis

Alga castanha de média dimensão, presente em todo o arquipélago açoriano. As suas propriedades químicas singulares têm suscitado interesse nas indústrias farmacêutica, alimentar e da cosmética.

Época de maior abundância: Março a Junho

Halopteris scoparia

Alga castanha de média dimensão, frequente na zona submersa do mar dos Açores. É uma alga de extrema importância para a indústria cosmética, sendo muito utilizada em produtos de tratamento de pele.

Época de maior abundância: Outubro a Março e Junho a Julho

Padina pavonica

Alga castanha de pequena dimensão, abundante em poças de maré, zonas intertidais abrigadas e no subtidal profundo em todas as ilhas dos Açores. É utilizada em diversas indústrias (nutrição humana, cosmética e farmacêutica) dada à sua riqueza nutricional e altos níveis de bioactividades antibacteriana, antioxidante, antifúngica, entre outras.

Época de maior abundância: Maio a Setembro

Pterocladiella capillacea

Alga vermelha de média dimensão, abundante nos Açores. É uma das espécies mais exploradas do arquipélago para a produção de ágar destinado às indústrias alimentar e de biotecnologia.

Época de maior abundância: Junho a Setembro

Sargassum vulgare

Alga castanha de média dimensão, com presença em todo o arquipélago dos Açores. Muito utilizada na indústria agrícola para produção de fertilizantes, bem como na indústria da cosmética para produção de agentes condicionantes da pele.

Época de maior abundância: Abril a Agosto

Zonaria tournefortii

Alga castanha de média dimensão, com forte presença nas ilhas dos Açores. De acordo com estudos recentes, possui um enorme potencial para ser explorado nas indústrias da biotecnologia, cosmética e farmacêutica.

Época de maior abundância: Junho a Agosto

PROCESSAMENTO 

De forma a garantir a qualidade das nossas algas, estas são cuidadosamente inspecionadas e limpas após a colheita para devolver ao mar qualquer captura acessória e, em seguida, transportadas para as nossas instalações onde são sujeitas a um dos seguintes métodos de secagem.

MÉTODOS:

LIOFILIZADA

Biomassa congelada processada com recurso à técnica de liofilização, que consiste na extração de água por sublimação, garantindo a conservação e aumento do tempo de prateleira da biomassa.

SECA AO SOL

Sendo o método mais comum de processamento,
a secagem ao sol é efetuada em estufas e garante uma secagem relativamente rápida e sustententável, recorrendo a energia 100% limpa.

SECA NO ESCURO

Com recurso a energia calorífica 100% renovável, a secagem é efetuada num ciclo único e contínuo, permitindo a preservação de todas as propriedades organolépticas e de compostos facilmente degradáveis pela luz solar.

FORMATO:

Uma vez seca ao sol ou no escuro, o cliente pode ainda optar por receber a biomassa no seu formato natural (inteira) ou triturada em diferentes granulometrias.

INTEIRA

TRITURADA

Para mais informações
...

Travessa do Farrobim, 15 9900 – 361 Horta, Faial, Azores
PORTUGAL

+351 292 948 409

+351 963 500 687

artur.oliveira@seaexpert-azores.com

henrique.ramos@seaexpert-azores.com

seaexpert@seaexpert-azores.com